segunda-feira, 8 de outubro de 2012

ANTÓNIO REIS E O FUTURO DA VIOLA DA TERRA NA GRACIOSA

António Reis é a imagem da nova geração de tocadores de viola da terra na Ilha Graciosa. Aprendeu ( e continua a aprender) com os antigos e pretende dinamizar o ensino da mesma na Filarmónica Recreio dos Artistas, em Santa Cruz. Lançou cartazes que espalhou por todo o lado à espera que apareçam novos e jovens talentos. "O que é preciso é começar", explica. Ele próprio experimentou outros instrumentos como o trompete e o saxofone até aprender sózinho a tocar violão. "Eu sempre gostei da viola da terra mas sempre achei que era para os grandes músicos. Um dia vi o Elder Eiró (tocador e construtor que vive entre a Califórnia e a Graciosa) a tocar e comentei " esse senhor está a tocar numa viola lindíssima". Disseram-me "fala com ele que ele faz-te a viola". Já nessa altura, o sonho de António Reis era possuír uma viola da terra mas feita na Ilha Graciosa. " Eu falei com ele e disse-lhe que não tivesse pressa. Passou-se um ano. Um dia o Eiró ligou: "A tua viola está pronta". Quando chegou à oficina de Elder Eiró, no Carapacho, lá estava a sua viola tal como a tinha encomendado, com um caracol em vez do cravinhal. "A minha ideia era ter a viola em casa mas cheguei lá e ele já tinha colocado as cordas. Depois disse para eu me sentar com ele e experimentar: Ê senhor, vais sentar comigo e eu ensino-te". Assim foi. Elder Eiró ensinou António Reis. "O pouco que eu sei aprendi com ele", afirma António. Agora, António, quer que mais gente aprenda quer violão quer viola da terra. Conta com o apoio dos tocadores mais velhos, como José João Mendonça e Elder Eiró. Para que a viola e as modas passam de geração. 26-3 25-3 26-9

Sem comentários:

Publicar um comentário