terça-feira, 29 de janeiro de 2013

A FAJÃ ONDE FOI PROIBIDO VIVER

A Ponta da Fajã é um lugar idílico mas considerado perigoso desde que a 19 de Dezembro de 1987 uma derrocada destruiu uma casa, uma capela e uma garagem. Os 50 habitantes foram obrigados a deixar o lugar mas aos poucos os mais teimosos e que ali sempre viveram, regressaram, um regresso que tem algumas semelhanças com o que aconteceu em São Jorge na Fajã da Caldeira de Santo Cristo ( ali a fajã foi evacuada quando do sismo de 1980 mas os habitantes voltaram). Sentado à porta de casa, pouco depois da Igreja, encontrei Manuel da Ponte. “Não gosto da Fajã Grande, toda a vida aqui vivi e é aqui que eu gosto de estar. Era uma vida difícil. Essa montanha estava cheia de arames para trazer lenha e ração para o gado em cestos. Cultivávamos a terra toda. Agora estou cá eu e mais meia dúzia”. Não tem medo? “Não, as “quebradas” não atingem esta zona, a maioria das casas não estão em perigo. Só uma ou duas que estão abandonadas é que estão mais perto da encosta. Ali à frente vê-se uma “quebrada”. Foi há pouco tempo e não atingiu nada nem ninguém”. Flores 87 Flores 88 Flores 91 Flores 90 Flores 89

Sem comentários:

Publicar um comentário