domingo, 30 de dezembro de 2012

NA CASA DAS MÁQUINAS DO FAROL DOS CAPELINHOS

faial 23 “Foi durante o furacão Nadine”, recorda Aires Filipe, 25 anos, a trabalhar ali mesmo junto ao Farol dos Capelinhos. “Estavamos aqui e demos com isto. Sabíamos que existia mas nunca tínhamos visto”. O temporal destapou a antiga chaminé da vestuta casa das máquinas do farol. “Destapou tudo e dá para ver como o farol funcionava antigamente. O senhor quer ver? Desça comigo, aos poucos habitua os olhos ao escuro”. capelinhos 2 Desço com Aires Filipe, um dos três funcionários que há cerca de um mês deram com a velha casa das máquinas. “Estavamos aqui a trabalhar e demos com isto. Comunicámos logo ao Parque mas eles dizem que tem de ser tudo bem avaliado porque há aqui uma viga que está em perigo”. Lá dentro, sem lanterna, é praticamente impossível perceber o que lá se encontra. A antiga entrada está ainda enterrada em cinzas vulcânicas. Só com a ajuda do flash da máquina e as descrições entretanto feitas por Aires Filipe vou entendendo onde se encontra o velho gerador ou as caldeiras. capelinhos 6 capelinhos 4 capelinhos 3 capelinhos 5 Não existem dúvidas, no entanto, que este material existente no subsolo do farol pode vir a enriquecer e de que maneira o moderno Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos. Este já foi nomeado para melhor Museu Europeu do Ano 2012 e está enterrado no solo vulcânico para o preservar, à cota original anterior à erupção. Distribui-se entre o antigo piso térreo do farol e as casas de apoio existentes quando da erupção de 1957. O moderno centro proporciona aos visitantes uma viagem interactiva que descreve o fenómeno geológico ocorrido nos Capelinhos no século passado e conta com a projecção de um filme que narra a história dos Açores. Numa sala, são oferecidas maquetas dinâmicas dos três tipos de actividade que ali ocorreram. Nas duas últimas salas da exposição permanente pode apreciar-se a “história e as paisagens geológicas” e entre outras mostras, amostras de rocha do vulcão. Com certeza, depois de recuperada, a antiga maquinaria que fazia funcionar o velho farol inaugurado em 1903 será uma mais valia quer para o Parque Natural do Faial como para o Centro Interpretativo. Para já, permanece no subsolo, à guarda dos três diligentes e simpáticos funcionários. capelinhos 8

Sem comentários:

Publicar um comentário